Ø 5,00 | 2 Votos

Tendências do mercado imobiliário

21.07.2015 - Imóveis

Anúncios

O mundo viveu uma crise financeira devido a bolhas imobiliárias, tendo afetado também o Brasil, a realidade é que esse fantasma continua a pairar no País, com variações de preços que têm beneficiado os investidores que têm disponibilidade para aproveitar as baixas e a concessão de crédito mais fácil, enquanto o consumidor médio tem recorrido cada vez mais ao aluguel para fazer face à queda de rendimento e à ameaça constante do desemprego, que têm subido no Brasil nos últimos tempos.

Variações do setor imobiliário
Em 2015, os preços do setor imobiliário caíram e o receio de adquirir casa também se manifestou ao nível dos juros do Banco Central, que estavam a 7,5% em Janeiro de 2014 e subiram para 12,75% este ano, o que tem tornado o dinheiro mais caro. O valor médio dos imóveis tem caído na casa dos 40% em algumas cidades, o que indica que a procura tem desacelerado, mesmo com o aumento da oferta devido aos grandes eventos promovidos no brasil, como a Copa do Mundo e especialmente a Olimpiada em 2016.

Esta queda de preços tem auxiliado os investidores que têm dinheiro fresco para investir e capitalizam estas quedas de preço para adquirir habitações especialmente para o mercado do arrendamento. E as perspetivas para este ano é uma continuação do cenário atual, com a subida dos juros, o que irá limitar o acesso ao crédito e a queda dos preços dos imóveis até 3%. Isto aponta para aquisição por parte dos investidores a preços baixos e a um aumento do valor das rendas, pois a classe média e baixa irão recorrer mais ao mercado de arrendamento.

Sem auxílio público para contrariar a inflação e a subida de juros, será muito difícil inverter a tendência, pois o dinheiro não se importa com as condições sociais, sendo que quem constrói uma casa irá querer escoar o produto de forma cega e quem concede crédito, desde que consiga obter retorno, não vai pensar que a classe média tem cada vez mais dificuldades em adquirir habitação. Mais do que o setor imóvel, é vital combater o desemprego para conceder mais condições às populações para estimular a compra de imóveis.

O que se passa em Guarujá
Guarujá é conhecida como a “Pérola do Atlântico”, devido às praias e beleza natural muito procuradas pelos turistas e pela habitação de fim-de-semana. Tem 27 praias que constituem mais de 22 km de extensão, sendo que o clima ameno, devido à influência marítima é um atrativo para quem vem de fora e não está habituado a um clima mais quente.

Quando entramos no site siteimovel.com/alugar/sp/guaruja/cat-apartamentos, vemos que os apartamentos para alugar em Guarujá tem uma grande variação para cima a nível de preço, o que indica que o fator localização é muito forte, mas que também existe uma grande procura por habitação nesta região, o que faz com que os investidores possam estar mais renitentes por não conseguirem apanhar preços em baixa, mas que também a procura externa e com acesso a dinheiro fresco permita captar os melhores produtos imobiliários desta região.
Guarujá acaba por ser um caso à parte em relação ao restante do Brasil, por estar na costa e ter uma localização mais atrativa e diferente do resto do País.